Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

 

O 10º Ciclo de estudos em Ciência da Informação (CECI) foi construído a partir de um formulário de mapeamento de interesse enviado aos servidores das bibliotecas da UFRJ. Dessa forma foi estabelecido que o evento, exclusivamente nessa edição, iria apresentar trabalhos desenvolvidos na instituição pelos profissionais que integram o conjunto de bibliotecas coordenadas pelo Sistema de Bibliotecas e Informação (SiBI).

 

Os 16 trabalhos apresentados foram divididos em quatro eixos temáticos, da seguinte maneira:

 

1º eixo Gestão e Apoio Social

 

Raquel Araújo, representante do SiBI no Fórum de Acessibilidade iniciou as apresentações com o relato de experiência sobre as características da acessibilidade e ações afirmativas.

Tatyanne Valdez, bibliotecária do CAP/UFRJ, apresentou o trabalho “Uma experiência intercultural através das narrativas orais dos índios fulni-ôs: ações integradas na biblioteca escolar”. Através da sua apresentação explicou como temas transversais promovem a interculturalidade com ações colaborativas entre museus, arquivos e bibliotecas, buscando estabelecer vivências culturais mediadas pelas narrativas orais dos índios Fulni-ôs, permitindo um diálogo com os estudantes que assimilaram de maneira autônoma o que foi exposto.

Leandra de Oliveira, bibliotecária do Museu Nacional expôs o projeto “Circulação automatizada na Biblioteca do Museu Nacional: implantação e operacionalização” em parceria com o Programa Jovens Talentos da FAPERJ/CECIERJ, para a realização de inventário no acervo rotativo de 37.825 itens, realizado no período 2015 a 2018.

Katia Perez, bibliotecária da EBA, relatou a “Avaliação da Biblioteca Alfredo Galvão: opinião dos graduandos da Escola de Belas Artes da UFRJ” em que buscou avaliar o acervo, os serviços e produtos oferecidos. Após abordar o histórico do setor, expôs às dificuldades e falta de estrutura após o incêndio em 2016.

Ana Rita Mendonça, bibliotecária da COPPEAD, encerrou os trabalhos do primeiro eixo ao abordar os detalhes da modernização na Biblioteca Emérito Agrícola Bethlem da COPPEAD.

 

2º eixo temático memória e patrimônio

 

Andrea Queiroz, Diretora da Divisão de Memória do Sibi fez seu relato de experiência destacando o pioneirismo do SiBI em iniciar atividades para o tratamento da memória institucional na universidade, valorizando o patrimônio institucional e a consolidação da Diretoria de Memória Institucional.

Natália Soares, bibliotecária do Instituto de Física, abordou um estudo de caso no Instituto de Física da UFRJ, acerca da aplicabilidade de um museu virtual como ferramenta de disseminação de informação apresentando o Museu Virtual do Instituto de Física inserido no site da biblioteca.

Solange Viegas, bibliotecária da Faculdade de Letras, apresentou o trabalho educação patrimonial da Biblioteca José de Alencar da Faculdade de Letras, em que o setor apresentou a importância do zelo ao patrimônio bibliográfico em linguagem acessível aos usuários

Samantha Pontes, bibliotecária do MAST que atuou no SiBI até meados do primeiro semestre de 2019, expôs o plano de trabalho para raridades bibliográficas e coleções especiais da UFRJ, tuteladas pelo sistema de bibliotecas da UFRJ.

Ana Paula Teixeira, bibliotecária do IMPPG compartilhou a dissertação de mestrado com o tema Evolução da Biblioteconomia e a formação do Instituto de Microbiologia da UFRJ.

 

3º eixo temático Competência informacional e Mídias

 

Com relato de experiência “Coinfo na prática: ações nas áreas de ciências humanas e sociais”, Érica Resende, bibliotecária do CFCH iniciou o 3º eixo mostrando o desenvolvimento das atividades da biblioteca com foco da competência informacional e a formação do usuário de biblioteca.

Em seguida Andresa Pereira, bibliotecária do CT expôs o trabalho: “Os livros eletrônicos já são uma realidade na UFRJ” em que destacou a inclusão de novas práticas de trabalho do bibliotecário com a aquisição e a disponibilidade de e-books comprados pela UFRJ.

Vanessa Mendonça, bibliotecária do Hospital Universitário apresentou o perfil dos inscritos nos cursos de busca bibliográfica realizados pela biblioteca do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho; descreveu como o curso foi idealizado, as mudanças implantadas a partir das experiências com usuários e também a forma de marketing dos cursos.

Bruna Assis, bibliotecária do Instituto de Física, apresentou o estudo de caso no serviço de referência da biblioteca do Instituto de Física, em que destacou o uso do aplicativo de mensagem na implantação do serviço de aviso online através das redes sociais para comunicação aos usuários com livros emprestados em atraso.

Fábio Mendes Ferreira, bibliotecário da Escola de Química, expôs a capacitação dos usuários da Escola de Química e preservação digital através da competência informacional, abordou as iniciativas relevantes na área de Ciência e Tecnologia com fins de preservação do patrimônio digital.

 

4º eixo temático Tratamento da informação

 

Samantha Pontes fez seu relato de experiência com base na fase em que atuou como diretora no Departamento de Processamento Técnico - DPT  do SiBI.. O foco da apresentação abordou a gestão e atribuições do Departamento, que são: supervisão em processamento técnico, informatização em bibliotecas, gestão operacional, desenvolvimento de coleções e aquisição.

Em seguida Cláudia Maria de Carvalho, bibliotecária do Instituto de Macromoléculas - IMA relatou o processo de digitalização das teses e dissertações do IMA na recuperação da informação científica e tecnológica.

Zoraide Freitas abordou o papel social do bibliotecário como promotor do acesso à informação de difícil acesso na sociedade a partir do Guia de inclusão, parceria com o Instituto JNG - Projetos de Inclusão Social, elaborado com intuito de facilitar a autonomia às pessoas com deficiência, no caso os autistas.

Glaucilene Sales, bibliotecária do Instituto de Matemática abordou a disseminação seletiva da Informação e o acervo sobre a História da Matemática da Biblioteca Leopoldo Nachbin, apresentado como metodologia o levantamento bibliográfico, organizado após uma triagem do material, que resultou na elaboração de uma lista com as referências da área.

Lourdes Coimbra relatou a análise bibliométrica da vida média na gerência de bibliotecas especializadas, o caso da antropologia social.

 

Link para as fotos do evento:https://photos.app.goo.gl/WsSavS6EgmssHye66

 

Link para o formulário de avaliação do evento: https://forms.gle/bXVichBEuy37LhMY9

 

 

 

 

 

 

 

O incêndio no Museu Nacional destruiu o maior acervo bibliográfico em Antropologia e Ciências humanas de toda a América do Sul. Menos de um ano após o incêndio, a Biblioteca Francisca Keller do Programa de Antropologia Social (PPGAS) já recebeu um total de 10.500 de itens resultado das milhares de doações vindas do Brasil e do Exterior.

 

No entanto, para que o acervo da biblioteca possa estar disponível para consulta e empréstimo, é necessário que seja construída uma nova biblioteca.

 

Com esse intuito foi lançada a campanha “Livros Vivos no Museu” para buscar apoio financeiro para a reconstrução do espaço no qual a biblioteca será inaugurada.

 

A campanha de financiamento coletivo já conseguiu arrecadar 62% do valor da meta. O objetivo é que até 24 de Agosto desse ano o valor total seja alcançado.

 

A partir de R$20,00 cada pessoa pode contribuir para a reabertura da biblioteca do PPGAS.

 

Para maiores informações sobre a campanha, acesse: https://benfeitoria.com/livrosvivosnomuseu

 

 

 

 

 

 

Nos dias 30 e 31 de juho, 1 e 2 de agosto de 2019 será realizada a IX Conferência Internacional Sobre Bibliotecas e Repositórios Digitais da América Latina (BIREDIAL-ISTEC). Neste ano, o evento ocorrerá em São Paulo, na Universidade Nove de Julho (UNINOVE).

O objetivo do evento é expor, discutir e analisar questões que envolvem a iniciativa de acesso aberto e, para isso, os trabalhos apresentados estão divididos em quatro grandes eixos temáticos:

 

REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS E TEMÁTICOS: Gestão e curadoria, Interoperabilidade, Visibilidade, Preservação digital e Avaliação de repositórios

REPOSITÓRIOS DE DADOS DE PESQUISA: Gestão e curadoria, Interoperabilidade, Visibilidade e promoção de dados abertos na pesquisa, Preservação digital, planos de gestão de dados de pesquisa e reprodutibilidade da investigação na ciência

PORTAL DE PERIÓDICOS E PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS: avaliação e métricas, impacto e visibilidade na ciência, preservação digital de periódicos eletrônicos

CIÊNCIA ABERTA e dados abertos: promoção, práticas e políticas, visibilidade da ciência, éticas e direitos autorais

 

Para mais informações e inscrições acesse: http://biredial.istec.org/sede-2019-2/inscricao/?lang=pt-br

 

 

 

 

 

 

 

Nesta segunda feira, 8 de julho, a UFRJ vivenciou um momento histórico ao realizar a  cerimônia de transmissão do cargo de Reitor, no seu auditório do Centro de Tecnologia. Assume, pela primeira vez em quase 100 anos, uma reitora, a professora Denise Pires de Carvalho, formada em Medicina pela UFRJ, com mestrado e doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pelo IBCCF e pós-doutorado pelo Hôpital de Bicêtre (Paris) e pelo Universitá Degli Studi di Napoli (Itália). A cerimônia reuniu mais de 1.200 pessoas entre docentes, discentes, técnico-administrativos, parlamentares e dirigentes de instituições científicas entre outras autoridades.

 

Na abertura da cerimônia, o reitor Roberto Leher, afirmava a celebração do fortalecimento da autonomia da universidade frente ao processo de consulta, nomeação e posse da reitora.

 

As entidades que se pronunciaram, destacavam a importância da presença feminina à frente da instituição e a necessidade de resistência para enfrentar as adversidades que podem trazer a conjuntura política e econômica brasileira.

 

Entre os representantes das entidades presentes destacamos o professor Luiz Davidovich,  do Instituto de Física da UFRJ, Ildeu de Castro Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), profa. Doris Rosenthal , professora pesquisadora do Laboratório de Fisiologia Endócrina, no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da UFRJ , representantes dos sindicatos dos técnico-administrativos (Sintufrj), Neusa Luzia Pinto, dos professores Maria Lúcia Werneck Vianna (Adufrj),  e do movimento estudantil da UFRJ, Natália Borges (DCE Mário Prata) e Alice Matos de Pina (Associação de Pós-Graduandos) .

 

Ao final, o reitor da UFRJ Roberto Leher felicitou a nova reitora, Denise Pires de Carvalho e entregou a medalha de honra da reitoria. Em seu discurso, Denise agradece e parabeniza Leher pelo fortalecimento da democracia na instituição, fala do seu objetivo de colocar a UFRJ entre as melhores universidades da América Latina, como meta, reduzir as taxas de evasão na Universidade, assumiu o compromisso com as políticas de assistência estudantil e apresentou sua equipe de pró- reitores:

 

Graduação (PR-1): Gisele Pires, professora associada da Faculdade de Medicina;

 

Pós-Graduação e Pesquisa (PR-2): Denise Freire, professora titular do Instituto de Química e coordenadora do Laboratório de Biotecnologia Microbiana;

 

Planejamento, Desenvolvimento e Finanças (PR-3): Eduardo Raupp , professor associado do Instituto Coppead de Administração;

 

Pessoal (PR-4): Luzia Araújo, servidora técnico-administrativa vinculada ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho;

 

Extensão (PR-5): Ivana Bentes, professora titular e diretora da Escola de Comunicação;

 

Gestão e Governança (PR-6): André Esteves, servidor técnico-administrativo reconduzido ao cargo;

 

Políticas Estudantis (PR-7): Roberto Vieira, servidor técnico-administrativo e ex-superintendente executivo de Acesso e Registro;

 

Prefeitura Universitária: Marcos Maldonado.

 

                                                                      Foto: Artur Moês - Coordcom/UFRJ

 

 

 

Nos dias 18 e 19 de Junho aconteceu no auditório do Roxinho, o 10º Ciclo de Estudos em Ciência da Informação (CECI).

 

O evento promovido pelo Sistema de Bibliotecas e Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SiBI), foi criado para divulgação, troca de experiência e debate sobre as práticas exercidas nas bibliotecas da UFRJ, como sistema integrado.

 

O CECI trouxe, através das apresentações dos trabalhos dos profissionais da UFRJ, os projetos que estão sendo desenvolvidos dentro das bibliotecas, possibilitando essa troca de experiência entre os participantes presentes, onde se encontravam profissionais de diversas instituições.

 

O evento foi composto por apresentações de trabalhos dos bibliotecários da UFRJ dentro dos seguintes eixos temáticos: Gestão e Apoio Social, Memória e Patrimônio, Competência Informacional e Mídias e Tratamento da Informação. 

 

Na manhã do primeiro dia participaram da mesa de abertura o magnífico reitor Roberto Leher, o coordenador do Fórum Ciência e Cultura Carlos Bernardo Vainer e a Coordenadora do Sistema de Biblioteca e Informação Paula Maria Abrantes Cotta de Mello.

 

Na ocasião também estiveram presentes autoridades, como a reitora eleita Denise Pires de Carvalho, a vice-presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB7), Patrícia Mendes, representantes de sistemas de bibliotecas, Márcia Valéria da UNIRIO, Letícia Schettini da UFRRJ, Rosângela Aguiar Salles da UERJ, entre outros.

 

A edição de 2019 foi ainda palco para celebração dos 30 anos do SiBI e constituiu uma das partes mais emocionantes do evento. Foram feitas homenagens aos profissionais que colaboraram para a criação e desenvolvimento do SiBI. Na categoria “Apoio institucional” foram homenageados alguns os reitores, na categoria “As Pioneiras” foram homenageadas todas as bibliotecárias que já estiveram a frente, como coordenadoras do SiBI, na categoria “SiBI” foram homenageados os bibliotecários que fizeram a diferença com seu trabalho, na categoria “Auxiliares em Biblioteca” foram homenageados profissionais escolhidos pelos seus colegas de trabalho que representassem cada centro, na Categoria “Parcerias interinstitucionais” foram homenageadas as diversas instituiçõesde ensino que trabalham em parceria com o SiBI,através de uma bibliotecária representante, na Categoria “Amigos do SiBI”,pessoas e entidades que fizeram e fazem parceria com o sistema.

 

Para celebrar o aniversário do SiBI foi feita a inauguração da exposição: SIBI 30 ANOS, na qual foram apresentados documentos e imagens que ilustram as principais fases do Sistema de Bibliotecas e Informação da UFRJ.

 

O 10º CECI também foi a ocasião escolhida para apresentar à comunidade acadêmica a nova logomarca do SiBI. A Criação de Marina Hirakawa Miranda, aluna de desenho industrial da Escola de Belas Artes (EBA), venceu o concurso lançado, através de edital, pelo SiBI em conjunto com a EBA.O prêmio foi um Kindle, leitor de livros digitais, gentilmente cedido pela ITMS.

 

A palestra de abertura “A biblioteca universitária como espaço de inclusão intelectual, cultural e social” foi proferida por Antônio José Barbosa de Oliveira, professor do Curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação e Doutor em Memória Social pela UNIRIO.

 

No inicio da parte da tarde, Renan Neves, representante da EBSCO, apoiadora do evento, apresentou a plataforma de serviços de biblioteca Folio: O Futuro das Bibliotecas é Aberto.

 

Os participantes do 10º CECI puderam desfrutar do serviço gratuito de variados tipos de cafés e chocolates, patrocinado pelas empresas Baryx e Real Café Reserva.

 

Durante a realização das atividades do evento, a empresa Paint Brindes – brindes e personalizações vendeu canecas feitas especialmente para o 10º CECI e com a nova logo do SiBI, e ainda cedeu algumas canecas para serem sorteadas entre os congressistas.

 

Link para as fotos do evento: https://photos.app.goo.gl/kYGaFJ8c9KoX9c9M8

 

Link para o relatório final do 10º  CECI: https://drive.google.com/file/d/1lPATMpTJ9jbqZsJA_R8GkVIs9K2bYHS9/view?usp=sharing

 

 

 

 

UFRJ Sibi - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ